Campeões Nacionais de Clubes 2018

thumbnail-campeoes-nacionais-clube-naval-povoense-casa-favais

Pesca em Barco Fundeado


Campeonato Nacional de Clubes 2018


Decorreu no passado dia 7 de Outubro em Sesimbra a última mão do campeonato de clubes de pesca desportiva em barco fundeado, no característico ambiente de sã competição, e que ditou que o CLUBE CAMPEÃO NACIONAL é nada mais nada menos do que o Clube Naval Povoense - Casa Favais.

 


Partilhamos as classificações e as fotos dos vencedores.


É com grande mérito e prazer que da-mos os parabéns a todos, mas em especial aos nossos CAMPEÕES!

 

Parabéns Clube Naval Povoense - Casa Favais!

 

campeoes-nacionais-clube-naval-povoense-casa-favais-1campeoes-nacionais-clube-naval-povoense-casa-favais-2campeoes-nacionais-clube-naval-povoense-casa-favais-3campeoes-nacionais-clube-naval-povoense-casa-favais-4campeoes-nacionais-clube-naval-povoense-casa-favais-equipacampeoes-nacionais-clube-naval-povoense-casa-favais-equipa-2

Pesca da sardinha suspensa até 16 de maio de 2019

thumbnail-pesca-da-sardinha-suspensa-ate-16-de-maio-2019

Pesca da sardinha suspensa até 16 de maio de 2019.
Governo aciona compensações para pescadores

 

 

As medidas compensatórioas deverão iniciar-se a partir do mês de novembro, são financiadas por fundos comunitários e nacionais e estima-se que venham a abranger 140 embarcações da pesca do cerco e aproximadamente 1.500 pescadores.

 

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, deu instruções à Direção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) para acionar os apoios públicos de 60 dias aos pescadores e empresas do setor da pesca de sardinha.

 

Segundo um comunicado do Ministério do Mar, a ministra deu indicações para, “após audição do setor, preparar a portaria regulamentadora do apoio público de 60 dias aos pescadores e empresas do setor da pesca de sardinha abrangidas pela paragem temporária da pesca em vigor até 15 de maio de 2019”.

 

De acordo com esse documento, “as medidas de compensação socioeconómica, agora determinadas pela ministra do Mar, a iniciar a partir do mês de novembro, são financiadas por fundos comunitários e nacionais, estimando-se que venham a abranger 140 embarcações da pesca do cerco e aproximadamente 1.500 pescadores.

 

“Com esta iniciativa de natureza socioeconómica, a Ministra do Mar minimiza os impactos sobre o setor avançando com uma medida de natureza social de apoio aos pescadores”, garante o referido comunicado.

 

O documento do Ministério do Mar explica que “o objetivo de recuperação do stock de sardinha justificou a adoção de medidas mais restritivas na pesca ao longo do ano de 2018, afastando o cenário de pesca zero”.

 

“Com o fecho da pesca da sardinha, a frota dirige agora a sua atividade à cavala e ao biqueirão”, defende o Ministério do Mar.

 

Fonte: Jornal Económico

Época 2018 Campeonato Nacional de Pesca em barco fundeado

thumbnail epoca-2018-campeonato-nacional-pesca-em-barco-fundeado

No passado dia 25 de Setembro de 2017, foi realizado o sorteio para a 3ª Mão do campeonato nacional da 3ª divisão de pesca em barco fundeado.

 

As provas serão disputadas no dia 30 de Setembro.

 

 

 

 

 

epoca-2018-campeonato-nacional-pesca-em-barco-fundeado lista

Regulamentação da pesca e regimes para embarcações são avanços “significativos”

thumbnail regulamentacao-da-pesca-e-regimes-para-embarcacoes

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, considerou hoje que a aprovação, em Conselho de Ministros, dos diplomas que regulamentam a pesca comercial e os regimes para as embarcações são avanços “significativos” que constituem uma “revolução” na desburocratização.

 

Em causa, está a aprovação do regime especial de determinação da matéria coletável dos navios, da regulamentação da pesca marítima comercial e o novo regime jurídico da náutica de recreio.

Para a ministra do Mar, o diploma da marinha mercante pode constituir uma “evolução notável”, que pode ser aplicado aos armadores não só do registo tradicional, mas também aos da madeira.

“É um regime contributivo transitório de 6%, com 4,1% a cargo do empregador. Vem apoiar a tendência de crescimento [no setor] e trazer para Portugal centros de decisão da área”, indicou.

Ana Paula Vitorino explicou ainda que as regras referentes ao registo são objeto de “uma grande desburocratização e simplificação”, tendo em conta que “todos os procedimentos são feitos” através do sistema informático.


Relativamente à náutica de recreio, a Governante considerou que é feita também uma “revolução” em termos de simplificação.

“Com uma única interação com o sistema podem ser solicitados registos, por exemplo dos navios, que são distribuídos por todas as autoridades a quem diz respeito a matéria”, destacou.

O regime especial de determinação da matéria coletável é definido com base na tonelagem dos navios e embarcações para potenciar o alargamento do mercado português de transporte marítimo.

Por sua vez, a regulamentação do exercício da pesca marítima comercial visa, de acordo com o comunicado do Conselho de Ministros, assegurar a conservação e “exploração sustentável” dos recursos biológicos.

Por último, o novo regime jurídico da náutica de recreio, justificado pelo “desenvolvimento crescente” das atividades e com o aumento do número de embarcações.

 

Fonte: Sapo 24



Este website utiliza cookies de acordo com a política em vigor. Ao continuar a navegação está a aceitar a sua utilização.
Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Cookies aqui.